Biografia

eu

Jorge Rocha é um artista visual que assenta a sua produção artística no cruzamento interdisciplinar com outras artes e as ciências. O seu processo de criação artística é quase sempre fruto de um trabalho colaborativo, desenvolvido em ambientes sociais e envolvendo Gastronomia e Internet.

Licenciou-se em Artes Plásticas na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha e desde então desenvolve uma actividade artística regular, essencialmente no domínio da arte contemporânea.

Atualmente é coordenador artístico do PALATO, um projecto que cruza arte, gastronomia e património. Nesse âmbito criou a acção performativa Cozinhando na Paisagem, que se desenvolve em sítios históricos e arqueológicos.

Em conjunto com outros artistas, fundou a XEREM – associação cultural, na qual esteve envolvido entre 2009 e 2014, coordenando o workshop internacional de artistas Transitante: entre álbuns e arquivos (Lisboa, 2012) e o Home and Abroad (Sintra, 2010)

Para além da sua atividade em território nacional, participa regularmente em projetos de âmbito internacional, destacando-se: a realização do filme “Escrito nas Telhas” (2010) integrado no Festival Ver e Fazer Filmes- Edição Cineport que decorreu em Cataguases/Brasil; a participação no Sansa International Artists Workshop (2009) que decorreu em Kumasi, Gana, no âmbito da Triangle Network; a performance Procedimento Administrativo, apresentada no âmbito da Expoarte Contemporânea (2006) que decorreu no Museu Nacional de Arte de Maputo, Moçambique, e no Festival CINEPORT(2007) que decorreu em João Pessoa, Brasil.

A par da sua atividade artística, desenvolve ainda trabalho regular noutras áreas circundantes, destacando-se a produção do projeto Underconstruction de Mónica de Miranda e Paul Goodwin (2009) e as experiências em Portugal do projecto NBP-Novas Bases para a Personalidade (2010). Entre 2005 e 2008 foi produtor do Centro Cultural de Lagos, produzindo entre outras exposições: Zoologia dos Trópicos: obras de Nelson Leirner e Jorge Dias; Laccobriga: a ocupação romana na baía de Lagos; Mundos Locais: espaços, visibilidades e fluxos transculturais, no âmbito do Allgarve08.

Privilegiando o software livre nas suas práticas artísticas, interessa-se pelo impacto do mundo digital nos processos criativos, focando parte do seu trabalho na criação, formação e divulgação de Cultura Digital, leccionando neste âmbito, uma Oficina de WordPress e Plataformas Livres na Cultura, que já se realizou em diversos locais em Portugal e na cidade da Praia e Mindelo em Cabo Verde.

Actualmente a viver em Amesterdão (Holanda), mantém ligações profissionais com Lagos/Algarve, cidade onde em conjunto com artistas, produtores, arqueólogos e outros especialistas, fundou a RIZOMA LAB, uma associação cultural com sede em Lagos/Algarve.

Contacto: info@jorgerocha.org